Skip links

Como a área de Gestão de Gente/ Pessoas pode ajudar os colaboradores a enfrentar o novo normal

As empresas no Brasil e no mundo estão passando por um período de adaptação e preparação para o pós-pandemia, o chamado novo normal. A área de Gestão de Gente/ Pessoas é peça chave nesse processo e deve ter um olhar estratégico voltado para o futuro. Antes de mais nada os profissionais da área precisam perceber que o novo normal já está acontecendo: novos processos, estratégias e formas de trabalhar já entraram em vigor, seja em relação aos colaboradores, clientes ou parceiros.

O novo normal engloba um conjunto de aspectos, e talvez algumas empresas estejam mais preparadas do que outras para as mudanças. Mas, como ficam as pessoas nesse processo?

Eduardo Faro, VP & Sócio da FESA Advisory, consultoria estratégica de pessoas que atua com foco em alavancar o valor das pessoas e das organizações nos pilares de avaliação, remuneração e desenvolvimento de talentos, ressalta que “Realizar uma mudança de mindset corporativo e observar como os seus colaboradores estão encarando essa nova fase, são pontos fundamentais para que a adaptação ao novo normal seja positiva e tenha o mínimo de impacto sobre os resultados e cultura da organização”.

Principais temas na agenda da área de Gestão de Gente/ Pessoas para atuação no novo normal

Trabalho remoto

O home office foi a primeira medida adotada por muitas empresas com a chegada da pandemia. A tomada de decisão teve que ser rápida e os processos alinhados com o decorrer da situação. Mas muitas empresas já estão retomando suas atividades. Em uma pesquisa recente feita no LinkedIn da FESA Group, enquanto 61% dos respondentes continuam em home office, 23% estão alternando entre escritório e home office e 17% já retornaram integralmente para a empresa.

O sucesso e comodidade do home office pode levar muitas empresas a adotarem o trabalho remoto como uma prática e, com certeza, essa é uma das principais tendências do mundo pós-pandemia. Logo, cabe à área de Gestão de Gente/ Pessoas analisar a efetividade desse modelo de trabalho para a empresa e oferecer as informações necessárias para que a empresa tome essa decisão, adequando os procedimentos e regulamentos internos às exigências da legislação para esse tipo de atividade, incluindo jornada de trabalho, uso de equipamentos etc.

Cultura Organizacional

Este novo modelo de trabalho também trará desafios em relação ao desenvolvimento da cultura organizacional, uma vez que muitos dos rituais e artefatos que definem a cultura se transformarão. Será crítico que a área de Gestão de Gente/ Pessoas defina um plano de como preservar ou transformar a cultura neste novo contexto. O home office com certeza é uma prática que pode trazer benefícios para empresas e colaboradores, mas é preciso ter uma maturidade organizacional e uma forte cultura para que os valores e o modo de atuar da empresa se mantenham mesmo à distância. No novo normal, com o cenário de home office presente, é preciso também orientar os gestores e líderes sobre novas formas de gerenciar, como plataformas digitais, reuniões por vídeo conferência, com uma rotina de interação, controle de produtividade, metodologia ágil, engajamento, confiança e parceria.

Se quiser saber mais sobre novas tecnologias e recursos humanos é só acessar nosso artigo: Tecnologia e Recursos Humanos: 3 tendências que todo profissional deve conhecer

Foco no bem estar e saúde mental

Com todas essas transformações profundas, o suporte ao colaborador deve também se estender as questões psicológicas e ao seu bem estar. A área de Gestão de Gente/ Pessoas deve prover soluções aos colaborares que mostrem que a empresa está aberta para auxiliar em questões emocionais, oferecendo suporte e uma comunicação empática em seus diferentes níveis. Esta agenda deve ser conjunta com a liderança, que terá um papel central em diagnosticar e apoiar os colaboradores na ponta.

Produtividade

No novo normal o trabalho colaborativo se tornou ainda mais necessário. Pensando nas novas dinâmicas de trabalho, a produtividade ganha ainda mais destaque e deve ser uma das métricas mais importantes de cada time. Nesse artigo aqui, falamos sobre como avaliar o desempenho da equipe em home office, por exemplo.  O fato é que quando colaboradores são avaliados por suas entregas e não por suas horas de trabalho, o engajamento de todos e o sentimento de pertencimento se elevam. Há um paradigma passado ainda a ser vencido, que nas últimas décadas vem sendo incorporado na gestão de pessoas: a presença física e o controle de horas trabalhadas, principalmente em atividades mais qualificadas não são sinônimo de produtividade e resultado. A pandemia veio a acelerar uma transformação que já estava em curso.

Digitalização dos processos

A pandemia, ao que tudo indica, é temporária, mas a digitalização não. Esse é um dos pontos mais importantes e urgentes na nova realidade. Sabemos que muitas empresas já digitalizaram suas atividades, com programas online, acessos remotos, softwares que facilitam os processos, armazenamento em nuvem e ferramentas de comunicação compartilhada.

Os resultados mostram que as ferramentas tecnológicas centralizam informações, agilizam os processos e geram economia de tempo e recursos. Por isso, não há dúvida que o novo normal será digital. Na área de gestão de Gente/ Pessoas não será diferente, a crise pandêmica também mostrou que é possível e necessário fazer recrutamento, seleção, desenvolvimento e gestão de talentos de uma forma muito mais digital.

Na FESA Group, durante esse período de pandemia 60% dos processos seletivos foram 100% online ou tiveram apenas a etapa final sendo realizada de forma presencial, mostrando que é possível, com a ajuda de profissionais capacitados e das ferramentas corretas de avaliação, encontrar o candidato perfeito digitalmente.

Papel da Liderança

Já se sabe há muito que a liderança tem um papel crítico para o desenvolvimento da cultura e geração de valor. Neste novo contexto que projetamos, este papel será mais relevante do que nunca, pois os líderes terão um papel protagonista de puxar as transformações com empatia e ao mesmo tempo foco em resultados. Ser um elo de ligação entre as pessoas e times, um facilitador das mudanças e da comunicação e acima de tudo liderar pelo exemplo serão atributos críticos para uma  liderança eficaz.

Quer saber mais sobre a FESA Group e como podemos ajudar a sua empresa? Entre em contato conosco:





Conheça nossas marcas:

Leave a comment