Skip links

Pandemia ainda pauta temas quentes para profissionais de RH

Quando a pandemia começou, em março de 2020, pouca gente imaginava que, mais de um ano depois, ainda estaríamos vivenciando impactos tão profundos. Mas a situação atual continua a desafiar o mundo corporativo e a pautar a atuação dos profissionais de RH.  Temas como saúde mental, autoconhecimento, soft skills, benefícios flexíveis e inteligência artificial, por exemplo entraram para ficar.

Recentemente Clayton Pedro, Head & Partner da FESA e Luisa Granato, repórter de carreira da Exame, bateram um papo com founders de algumas empresas sobre como esses temas, mais do que uma tendência, tornaram-se cada vez mais relevantes. Os convidados foram Tatiana Pimenta, Founder da Vittude; Vera Borges, Co-Founder da Gabi do RH; Marcelo Ramos, Founder da Vee Benefícios e Marcelo Mejla, Founder da Trillio Academy.

Veja a conversa na íntegra: https://www.youtube.com/watch?v=0eUFv_hr8VA&t=3490s

Você pode conferir também um pouco mais sobre saúde mental e autoconhecimento no texto que escrevemos sobre isso. Basta acessar aqui: https://fesagroup.com/a-saude-mental-no-ambiente-corporativo/

Soft Skills

Marcelo Mejla, co-founder da Trillio Academy, entrou no tema soft skills falando que “do mesmo jeito que você as pessoas vão para a academia para desenvolver músculos, queremos que usem nossa plataforma para desenvolver suas soft skills, como o autoconhecimento, por exemplo”. E o Brasil está nesse caminho.

Segundo a Pesquisa de Treinamentos no Brasil, em 2015, 18% do que as empresas investiam em capacitação era investido em habilidades comportamentais, hoje essa porcentagem já chega em quase 50%.

Para a Trillio Academy e pra Marcelo, 2020 foi um ano de crescimento com a pandemia e o trabalho remoto, muitas empresas se abriram para testar soluções online, o que expandiu o mercado de atuação da EdTech. Ainda assim, para ele, quando falamos em competências emocionais existe ainda uma barreira muito grande, especialmente de alguns gestores.

Tatiana Pimenta, founder da Vittude, compara as empresas com um avião em descompressão: “máscara primeiro na gente e depois nas crianças”, ela explica que o direcionamento de comportamento dos colaboradores, vem do board da empresa. Líderes que atuam pelo exemplo disseminam a cultura de forma mais eficaz.

A pandemia trouxe o processo de reaprender: eu já sei trabalhar em equipe, mas tive que aprender a trabalhar remoto, eu sei dar feedback mas como fazer isso com a distância? Tatiana compartilha a experiência e o desafio que foi contratar e fazer onboarding online depois do “boom” da Vittude nesse período: “Chegou num ponto que não conhecia 1/3 do time, apenas por vídeo. Resiliência deve ter sido a habilidade comportamental mais desenvolvida por todos nesse período”.

Benefícios flexíveis para atender novas necessidades

A Vee Benefícios, do empreendedor Marcelo Ramos, é uma Startup que reúne em um único cartão todo o valor de benefícios que a empresa oferece, com esse cartão o colaborador pode escolher como quer gastar os seus benefícios dentro de uma gama maior de parceiros e serviços da plataforma da Vee.

Para muitos, a Vee é vista como disruptiva no setor, mas Marcelo gosta de ressaltar que “ser disruptivo não é só tecnologia, muitas vezes é inovar na forma como vemos algo. E a Vee, apesar de ser uma solução tecnológica, ajuda as empresas a verem os benefícios de uma nova forma”.

Para ele, a cultura brasileira é de oferecer benefícios aos colaboradores. Mas, o mundo mudou, antes da pandemia já não dava para pensar num pacote de benefícios sem olhar o individual. Luisa Granato, repórter de carreira da Exame lembra que “agora, vemos benefícios como o Vale Transporte não sendo usados, ou até mesmo a pessoa que tem o Vale Restaurante mas preferia usar esse valor no supermercado porque faz mais sentido em sua nova rotina”.

Quer saber mais sobre Benefícios Flexiveis? Confira nosso artigo A importância de flexibilizar os benefícios da sua empresa.

Inteligência Artificial

Falamos muito em habilidades humanas, mas o fato é de que a tecnologia, a inteligência artificial e o RH 4.0 já são uma realidade e em um ano em que vimos os departamentos de recursos humanos sobrecarregados com mudanças, adaptações, isso é algo mais do que positivo.

Para Vera Borges, co-founder da Gabi do RH, uma AI que auxilia o RH no atendimento dos colaboradores, “a tecnologia já existe há muito tempo, o que acontece é que a tecnologia em nuvem ampliou o acesso, em especial da IA”. Vera estima que 80% das dúvidas recebidas no RH podem ser resolvidas por um chatbot, permitindo que os profissionais se dediquem para outras tarefas, desburocratizando a função e trazendo o Humano do cargo como o protagonista da atuação.

A Gabi do RH, por exemplo, é capaz de responder aquelas perguntas repetitivas que envolvem a CLT, atestado, férias, etc., também é possível parametrizá-la com as políticas internas de cada empresa e treinar o chatbot, via massive learning, para aprender novas questões e respostas.

A adoção desse tipo de tecnologia, além de desafogar o RH, como já falamos é capaz de elevar o nível de satisfação dos colaborafores. Isso faz com que tenhamos colaboradores mais satisfeitos com as questões ligadas ao RH.

Quer saber como a FESA Group pode ajudar sua empresa com esse tema? Entre em contato com a gente:





    Conheça nossas marcas:

    Leave a comment