Skip links

Boas práticas da gestão do processo seletivo

Ter uma equipe com desempenho ao nível de excelência começa com uma boa gestão do processo seletivo, também conhecido como o processo de recrutamento e seleção. Embora pareça uma prática simples de ser executada, requer avaliações diferentes de pessoas em diversos aspectos, como comportamento, disciplina, conhecimento técnico e eficiência produtiva. 

Contratações imprecisas tendem a resultar em altas taxas de turnover, baixa produtividade, problemas no engajamento, desmotivação e até conflito interpessoais, prejudicando o desempenho da equipe e da empresa.

Tratando-se de profissionais de alta e média gerência, o processo seletivo deve ser ainda mais cuidadoso, já que esses profissionais precisam apresentar — além das competências técnicas — soft skills essenciais para desenvolver as equipes e empresas, como espírito de liderança, comunicação assertiva, bom relacionamento interpessoal e proatividade.

Mas, como realizar um bom gerenciamento do processo seletivo de alta e média gerência, e como obter os melhores profissionais do mercado? Veja nossas dicas para tornar o processo mais simples, cuidadoso e estratégico neste guia!

O que é a gestão do processo seletivo? 

A gestão do processo seletivo é um conjunto de práticas utilizadas para administrar e organizar o recrutamento e seleção de pessoas. Esse trabalho engloba desde a busca por profissionais até a contratação e integração de candidatos selecionados.

A missão é atrair, admitir e reter profissionais que apresentem habilidades, competências e perfil alinhados com o da empresa. Tudo isso envolve estratégias para realizar a divulgação da vaga, triagem de currículos, determinar os modelos de entrevista mais relevantes e quais avaliações devem ser aplicadas. Além disso, uma boa gestão desse processo pode reduzir o tempo de contratação, resultando em uma seleção que seja ágil e eficiente na mesma medida.

Quais são as boas práticas da gestão do processo seletivo?

Criar uma boa gestão do processo seletivo requer critérios bem definidos para cumprir com o seu propósito de realizar boas contratações. Desse modo, é necessário fazer um planejamento eficiente, o que envolve:

  • ter objetivos claros;
  • desenvolver um cronograma específico; e
  • contar com ferramentas e tecnologia de ponta.

Entenda como aplicar uma boa gestão do processo seletivo em cada etapa do mesmo.

Definição da vaga, atribuições e remuneração

Definir qual posição precisa ser aberta na empresa é o primeiro passo para iniciar a contratação de profissionais de alta e média gerência. Nesta etapa, é fundamental que a organização tenha em mente quais são as habilidades e perfil desejados para a posição, bem como suas funções — afinal, é muito difícil saber qual caminho seguir quando não sabemos onde queremos chegar, certo?

Outro ponto relevante é ter bem definido o que será oferecido como remuneração. Muitos profissionais requisitados para posições estratégicas já estão colocados no mercado de trabalho, e para considerar uma alteração de posição ou empresa, certamente precisarão de um pacote de incentivos mais interessante do que o atual.

Dentre os benefícios, é possível destacar o salário mensal, participação nos lucros, recebimento de bônus (fixo ou não), flexibilidade de horário e local de trabalho, uso de cartão de benefícios flexíveis e opções exclusivas de comunicação e deslocamento, como fornecimento de aparelho corporativo e até mesmo um carro ou motorista para comparecimento nos locais de visitas e reuniões.

Divulgação da vaga

Uma parte crucial da gestão do processo seletivo é a divulgação da vaga. Para atrair bons profissionais, é importante divulgar a posição em canais estratégicos para garantir que os perfis estejam alinhados com a cultura e objetivos da empresa. Além dos recursos mais comuns, como indicação por rede de contatos ou anúncios em plataformas de vagas, considere parcerias com empresas especializadas na busca de profissionais.

Comumente, consultorias já possuem um banco de talentos o qual podem consultar, expertise para fazer um “match” entre os desafios da sua empresa e o perfil profissional buscado, além de serem consideradas uma parte neutra para realizar contratações.

Seleção de perfis para a posição

Criar uma estratégia eficiente para a seleção de perfis alinhados com o desejado para a posição é imprescindível, já que a partir desse momento o processo seletivo passa do campo teórico para a prática.

Nesse momento, contar com o auxílio da tecnologia pode ser de grande ajuda! Mas, como?

  • Triagem de currículos: atualmente, é possível contar com recursos tecnológicos e até mesmo auxílio de IA para analisar grandes quantidades de informações na triagem de currículos, filtrando pessoas candidatas que possuam os requisitos desejados para a vaga. Isso faz com que as equipes de RH tenham mais tempo para implementar o fator humano em atividades mais estratégicas, como análise de soft skills e relacionamento com o candidato;
  • Assessments: você já se perguntou como posições diferentes podem demandar a necessidade de testes diferentes, e como analisá-los é uma tarefa mecânica que precisa dispor de um grande tempo da sua equipe? Com o auxílio de ferramentas que usam People Analytics, por exemplo, o time de RH tem à disposição análises profundas que podem ser relacionadas com o comportamento do time interno, fazendo com que as avaliações sejam muito mais precisas em identificar perfis alinhados com o fit cultural da empresa!

Entrevistas com headhunters e gestores

Para as empresas que pretendem contratar bons profissionais, cuidar da experiência do candidato deve ficar em primeiro plano. Por isso, na etapa de entrevistas, é fundamental contar com profissionais especialistas no que fazem.

Durante as conversas, as empresas podem contar com o suporte de headhunters especializados na contratação da posição e/ou setor econômico trabalhado, resultando em entrevistas mais acertadas e proveitosas, além de manter o engajamento do candidato durante o processo com um contato mais próximo e personalizado.

Negociação para fechar a posição

A etapa da elaboração da carta proposta é uma das que mais exige cuidado por parte de todos os envolvidos na gestão do processo de recrutamento e seleção de alta e média gerência.

Nesta etapa, devem ser definidos todos os critérios da jornada de trabalho, remuneração, confidencialidade, benefícios, deveres e direitos de ambas as partes. Por se tratar de um documento com natureza jurídica, procure estar à disposição da pessoa selecionada para sanar eventuais dúvidas a respeito da carta-proposta e da posição, garantindo maior segurança para todos os envolvidos no ato da formalização.

Envio de feedback ao candidato finalista e demais candidatos

Tão importante quanto dar o retorno à pessoa selecionada para a vaga, é ter a mesma postura com os demais candidatos que investiram seu tempo e conhecimento nos testes e entrevistas do processo. Um estudo realizado pelo Global Talent Trends, desenvolvido pelo LinkedIn, revela que embora 94% dos candidatos gostariam de receber feedbacks sobre suas entrevistas, apenas 41% obtêm algum retorno.

Ao entregar uma comunicação pessoal e em um período apropriado, sua empresa demonstra ao candidato que ele é tão respeitado e importante quanto os demais, independentemente se a resposta é positiva ou negativa. 

Investir em feedbacks na gestão do processo seletivo é uma prática que tende a melhorar sua imagem como marca empregadora e contribuir para o futuro profissional do candidato, que pensará de forma mais abrangente sobre suas habilidades técnicas e comportamentais, e terá uma ideia de como está posicionado perante o mercado de trabalho. Portanto, determine uma periodicidade para enviar um feedback construtivo, seja para engajá-los ou para informá-los sobre sua posição no processo.

Qual a importância dos indicadores para a gestão do processo seletivo? 

Os indicadores de RH são métricas que ajudam a entender o desempenho das atividades do setor, e para garantir a gestão de um processo seletivo de sucesso é fundamental defini-los e analisá-los ao longo da jornada do candidato. Assim, sua empresa dispõe de mais informações para saber se os processos estão sendo efetivos, os candidatos estão satisfeitos, ou se algo pode ser alterado.

Confira, abaixo, uma lista de indicadores que podem ser mensurados.

Custos de contratação

Assim como todo processo seletivo, a contratação de talentos de alta e média gerência envolve custos. Aqui, sua empresa deverá analisar o orçamento necessário para atividades como:

  • contratação de plataformas de recrutamento e seleção;
  • ferramentas de testes comportamentais;
  • tempo dos recrutadores;
  • locação de espaço para realização das etapas do processo;
  • encargos salariais;
  • despesas jurídicas;
  • ferramentas de treinamento.

Felizmente, as empresas podem contar com soluções que otimizam esses custos. Por exemplo, ao contar com uma consultoria, sua empresa tem à disposição profissionais especialistas no mercado que, em sua maioria, conduzem todas as etapas do projeto em um orçamento único, de forma ágil e eficiente.

Tempo de contratação

Acompanhar o tempo médio de contratação para o preenchimento de uma vaga é essencial para a boa gestão do processo seletivo. Criar esse hábito permite que a empresa entenda se alguma das etapas de contratação necessita melhoria, se é responsável pelo desengajamento e desistência dos candidatos, ou se já possui o formato adequado.

Além disso, ele possui relação direta com a produtividade das equipes, uma vez que o perfil selecionado ainda passará por um período de adaptação e treinamento para, só então, integrar e liderar de forma prática seu time. Por isso, atente-se: processos muito rápidos podem resultar em contratações incompatíveis, mas processos muito longos podem afetar sua operação por inteiro.

Fit cultural dos candidatos

Analisar o fit cultural dos candidatos que possuem interesse na vaga é fundamental. Além das habilidades técnicas, é importante que haja um grau de compatibilidade entre os valores, as crenças, os comportamentos e as expectativas de um candidato e do local de trabalho.

Contratar profissionais que sejam incompatíveis nesses aspectos pode representar um alto índice de turnover que, além de afetar a performance da empresa, implica em altos custos e até mesmo problemas com sua imagem enquanto marca empregadora.

Engajamento dos candidatos

Um dos maiores desafios para uma boa gestão do processo seletivo é manter os perfis candidatos engajados durante toda a jornada. Já pensou em perder o candidato ideal porque, ao longo do processo, seu interesse diminuiu — seja por receber poucas comunicações, comunicações em excesso, ou ser um processo exaustivo?

Ao definir e mensurar estratégias de engajamento para o recrutamento e seleção de alta e média gerência, sua empresa consegue coletar informações sobre o que é mais ou menos atrativo em determinado setor ou posição, resultando em contratações mais eficientes.

Quais as vantagens de contratar uma consultoria de recrutamento e seleção?

Ao contratar uma consultoria de recrutamento e seleção, a empresa consegue elevar a gestão do processo seletivo ao próximo nível, otimizando seu tempo e esforço ao mesmo passo em que atrai os candidatos ideais para a vaga a ser preenchida.

Confira abaixo as principais vantagens de contar com uma consultoria de recrutamento e seleção para realizar uma boa gestão do processo seletivo de vagas de alta e média gerência.

Agilidade

O processo de recrutamento e seleção envolve diversas etapas, e conciliá-lo com as demais tarefas do departamento de RH pode ser um grande desafio.

Ao contar com uma consultoria de recrutamento de profissionais de alta e média gerência, a gestão desse processo passa a ser otimizada, uma vez que sua empresa dispõe de um profissional inteiramente dedicado à atividade, com acesso a um banco de talentos amplo e diverso, gerando melhores resultados em tempo hábil para o preenchimento da vaga.

Segurança

A contratação de profissionais para posições estratégicas na empresa é um processo que, por si só, deve ser cuidadoso — já que, ao entrar na organização, esse profissional poderá ter acesso a dados estratégicos para desempenhar suas funções.

Ao realizar a gestão do processo seletivo com uma consultoria especializada na atividade, a empresa possui garantias formalizadas por meio de um contrato, o qual pode ter condições de reposição de um candidato, seus deveres e direitos, bem como a indicação apenas daqueles que possuem conduta idônea durante toda a sua carreira, evitando surpresas desagradáveis.

Diversidade no banco de talentos 

Segundo a Pesquisa Benchmarking: Panorama das Estratégias de Diversidade no Brasil 2022 e tendências para 2023, 81% das empresas afirmam destinar recursos específicos para ações de diversidade e inclusão, enquanto 67% relataram o mesmo em 2020. Isso mostra o aumento da preocupação de muitas organizações em incluir profissionais diversos em seu quadro de colaboradores.

Investir em diversidade vai muito além de ser uma ação para melhorar a imagem da empresa. Times plurais proporcionam um ambiente favorável à inovação, à solução de problemas e desenvolvimento de projetos com perspectivas diferenciadas. Com isso, a empresa se torna um lugar próspero para os colaboradores, influenciando positivamente na produtividade e relacionamento interpessoal dos mesmos.

Por possuir um amplo banco de talentos e estratégias consolidadas de busca e seleção, as consultorias possuem maior facilidade de encontrar perfis profissionais que façam parte de grupos sub-representados e tenham as habilidades necessárias para a posição.

Maior precisão

Contratar os profissionais mais alinhados com os objetivos da empresa é um fator determinante, especialmente quanto se trata de cargos estratégicos.

Ao contar com o auxílio de uma consultoria, sua empresa dispõe de um time especializado em fazer um “match” entre o perfil da empresa e o perfil dos candidatos, com uma busca ativa daqueles que melhor se encaixam às necessidades da posição.

Acompanhamento profissional pós-contratação

Já pensou em ter acompanhamento após fechar uma posição para garantir que a pessoa selecionada e a empresa estejam se adaptando bem às mudanças? Com uma consultoria, isso é possível! Assim, ambas as partes dispõem de maior segurança sobre o futuro profissional e dos negócios.

Uso de ferramentas tecnológicas para a seleção de perfis

Conforme dito anteriormente, o uso de recursos tecnológicos são de grande ajuda para uma boa gestão do processo seletivo de profissionais de alta e média gerência. Desse modo, as consultorias possuem acesso aos melhores recursos do mercado para buscar, selecionar, entrevistar e aplicar testes nos perfis profissionais que mais se adequam à vaga em aberto.

Além de ser essencial para aumentar a agilidade nas contratações, o uso inteligente das ferramentas tecnológicas aumenta a eficiência desses processos, melhorando a experiência do candidato e mantendo a empresa atualizada sobre o andamento do recrutamento e seleção.

Fazer uma boa gestão do processo seletivo é um processo que envolve muitos desafios. No entanto, quando ela é centrada no candidato e desenvolvida por especialistas no que fazem, torna o preenchimento de vagas estratégicas um procedimento organizado e assertivo, beneficiando a empresa e o mercado de trabalho como um todo.

Gostou do nosso conteúdo? Então, siga a FESA Group nas redes sociais e fique por dentro das últimas novidades sobre o mercado de RH direto em seu feed. Estamos no Instagram, LinkedIn, YouTube e Spotify!

Leave a comment